sábado, 4 de fevereiro de 2017

Eu vi mamãe Oxum na cachoeira...

Sou como um rio... aparência da calma que pode esconder correntes, buracos no fundo, grutas tudo que
não é nem reto nem direto, mas pouco claro em termos de forma, cheio de meandros.
Sou filha de Oxum, incrivelmente teimosa e obstinada...  bateu, levou. 
Não tolero o que considero injusto e adoro uma pirraça. Da beleza à destreza, da fragilidade à força, com toque feminino de bondade. Eu sou o amor infinito e incondicional.
Eu sou as lágrimas que correm sem vergonha ou constrangimento. Águas que curam, que geram a vida, que limpam e purificam.
Eu sou aquilo que você foge porque o espelho da minha mãe te mostra por dentro, o mais profundo!
Sou de Oxum.  


Orá Aieieu Oxum!
Salve dourada Senhora da pele de ouro, Benditas são suas águas.
e essas mesmas águas lavam meu ser,
        e me livram do mal.
                                 Oxum,
                       Divina Rainha, bela Orixá,
                  Venha a mim caminhando na lua cheia.
                        Traga Mãe, em suas mãos,
                      Os lírios do amor e da paz.
                Torne-me doce, sedutora, suave, como és.
                     Mamãe Oxum, me proteja, Orixá.
                Que o amor seja constante em minha vida.
                  Que eu possa amar a tudo que existe.
              Me proteja contra as mandingas e feitiçarias.
                    Dê a mim o néctar da sua doçura.
                   e que eu consiga (faça o pedido).
                              Mãe de ouro,
                          da beleza e do amor,
                       Senhora do mais puro Axé,
               Valha-me hoje e sempre.
Que assim Seja.

Saravá doce Mãe Oxum.

Aieieu Oxum

Nenhum comentário: