terça-feira, 21 de abril de 2009

Escravo

Meu amor tornou-se escravo dos teus caprichos
Dos teus desejos, da maneira como me possui
Pela forma como misturei-me a você
Tornou-se inútil lutar pela libertação
Pois, eu não esqueço você

Não sei quando perdi o controle
Nem sei como permiti que você ficasse
Pensei que eu fosse mais forte
E percebi que sem você sou frágil

Todavia sua força faz parte de mim agora
E não há como mudar isso
Não posso mudar o passado
Nem quero alterar o presente ou futuro

No entanto tua ausência é abstinência
Retirando meu ar, queimando como fogo
Derrotando a paixão e mentiras
Sobrevivendo o verdadeiro amor
Eu nunca vou te esquecer

Existe algo de você guardado em mim
Impregnando, entranhado, pulsando
Por mais que eu não queira, eu quero
E minha razão se perde na demência

E estás ao meu lado, meu amado!
Guardado em meus sonhos
Onde a mente é livre e a alma voa
Refúgio da verdade dura

Meus sentimentos são escravos do teu querer
E mesmo que não queiras não há como voltar
Eu não consigo mais voltar
E você deveria saber como me libertar disso
Pois, eu não esqueço você...


Maria Lima

Nenhum comentário: