quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Minh’Alma


 
Minha alma se perdeu de si mesma
No exato momento que eu te perdi
De que vale voar livre se não tem direção?
E vaga... vaga triste e solitária...
À tua procura, à tua espera

Então, tudo perdeu o sentido e se fez confuso
A magia acabou apagando o brilho das estrelas
E minha alma chora na total escuridão
As lágrimas que descem livremente...
São como tempestade que devasta

E encharcam a minha alma que se afoga
Triste e acuada num cantinho solitário
Fica ali, alma doente, fica bem quieta ali
Até que consigas voar novamente
Restabelecida da maldita desgraça...




tudo o que se fala, pelo Amor,e, pelas verdades do coração cala fundo na alma, frutifica as bençãos do espirito e engrandesce o homem... Parabens, minha querida amiga.



Nenhum comentário: