sábado, 24 de outubro de 2009

Quando o vi pela primeira vez eu senti que já o conhecia, de algum lugar, de alguma época distante. Não sei como explicar, mas cada vez que descobria algo sobre ele era como se eu já soubesse. Quando me contava suas manias, atitudes, modo de pensar ou algumas formas de comportamento eu me sentia exatamente igual. Algumas manias, gostos exatamente parecidos com os meus. Tive a certeza de que ele fazia parte de mim, que de alguma forma eu estava ligada a ele e sabia que minha vida não seria a mesma depois daquele encontro. Não se trata de um devaneio amoroso, é quase uma sensação de dejavù. Relacionamentos amorosos são parte de nossa evolução. No dia daquele encontro eu senti algo mais forte, algo tão intenso, diferente de qualquer outro. Eu tinha a certeza que o conhecia. Eu sabia... Não ficamos juntos, mas nunca deixei de amar aquela pessoa. A minha essência aprendeu a simplesmente amar aquela outra alma. Dessa forma os defeitos dele deixaram de ter importância, é como se fizesse parte de mim.

Nenhum comentário: