sexta-feira, 1 de maio de 2009

Vício



Guardei-o em um local sagrado
Eternamente protegido dos meus
Caprichos e desejos mais profundos
Protegido de mim e de você próprio

Você é a droga que quero mais e mais
E preciso me libertar desse vício
Do desejo ardente de querer-te
Preciso libertar-me dessa urgência louca

Desejei-o como a nenhum outro
Todavia, desejou-me de outra forma
Diferente daquela que eu imaginei
E preciso libertar-me desse vício

Sigo, tentando superar a cada dia
A imensa falta que você me faz
Estou em recuperação e não sei se quero
Libertar-me do vício de querer você

Eu nunca deveria ter o deixado entrar
Mas agora é tarde demais
E tento buscar a recuperação
Dos meus sentidos, da minha vida

Você foi meu melhor amigo e confidente
O homem e amante que sonhei para mim
Eu nunca deveria ter cedido...
E agora tento recuperar-me desse vício

Você foi culpado e não percebe
Não sabe como sua falta machuca
Ninguém pode recuperar-me
Do vício de querer só a você

Sabe, às vezes pergunto a mim mesma
Como pude ser tão tola, ingênua...
E fui capaz de querer-te como a nenhum outro
E meu vício é o desejo ardente de você

Quando meu sangue é derramado com lágrimas
Marcam minha alma bem lá no fundo
É o preço que pago por iludir-me
E preciso urgentemente libertar-me
Desse vício de querer você...

Nenhum comentário: